Rodrigo Maia acessa as conversas da Lava Jato e ataca Bolsonaro

Rodrigo-Maia

Após a checagem do material da Vaza Jato por deputados, STF e Ministros, o conteúdo foi considerado fraco pelo centrão – e com Sérgio Moro inabalável, Rodrigo Maia viu nas conversas da Lava Jato a chance de bater em Bolsonaro, temendo que o presidente esteja ocultando os próximos passos da PF. Na Fundação Lemann em São Paulo, Rodrigo Maia criticou Jair Bolsonaro da maneira mais agressiva até o momento.

Bolsonaro é ‘produto de nossos erros’, segundo o Botafogo da Odebrecht e o Nhonho da OAS. Maia também acredita que Moro só aceitou o Ministério da Justiça para expadir seus tentáculos na PGR, e principalmente na PF, subordinada a ele.

Deputados do centrão estão cobrando de Jair – um freio em Sérgio Moro – ou começarão a travar projetos que são caros a economia como as reformas da previdência e a tributária. Entre quatro paredes sujas do Congresso, quem votou a favor de projetos do governo, temem ser presos ou denunciados por operações da Lava Jato que dependem apenas de uma ordem judicial.

Na pauta, a relação de César Maia e Rodrigo Maia com Léo Pinheiro

No momento, Bolsonaro está entre a cruz do Congresso e a espada de Sérgio Moro, um homem que segundo advogados do PT – nada teme, tudo sabe, e está disposto a entrar para os livros de História; sendo muito mais fácil ameaçar os alicerces de Jair do que o Ministro Moro.

Após o ataque de Maia a Bolsonaro, com recado direcionado na verdade a Lava Jato – Maia pretendeu fritar o Ministro da Justiça, ou ao menos causar mais rugas entre Moro e Bolsonaro. Mas não esqueçamos…

Rodrigo Maia, o Botafogo da lista da Odebrecht surge primeiro em delações de Cláudio Melo Filho, ex-relações públicas da Odebrecht em diversas ocasiões. Nhonho como é conhecido pela oposição e Botafogo pela OAS e Odebrecht, ataca Bolsonaro e a Lava Jato, ora sutilmente, ora com ferrões, como fez hoje, após saber que é alvo da bancada paulista no Congresso ligada e fiel a João Dória.

Meu amigo Léo Pinheiro!
Meu amigo Léo Pinheiro!

Maia, que foi aplaudido/dedurado por Gleisi Hoffmann, após rapidamente acionar seus contatos no STF para impedir a tranferência do bandido-chefe para Tremembé, não faz a mínima questão de esconder que fará o possível para fritar Bolsonaro, criando cizânias entre ambos.

Chola mais Nhonho!
Chola mais Nhonho!

A desidratação e adiamento do pacote anti-crime enfureceu Sérgio Moro, que muitos congressitas apostas e apostam alto, não vira o ano como Ministro.

Para piorar o cenário para o presidente, pesquisas encomendadas pelo filho Flávio, monitoram as redes sociais com muito mais precisão que qualquer DATAFOICE ou IBOPE, e mostram que a popularidade de Moro e Deltan são astronômicas, Paulo Guedes também é elogiado, mas a população parece aos poucos descolar de Bolsonaro.

Um analista do banco XP investimentos, refuta a reeleição de Bolsonaro.

“Metade de quem votou em Jair, o fez pela ligação com Sérgio Moro e a força da Lava Jato em punir sem distinção quem tenha assaltado os cofres públicos. Ao não ‘bancar’ Moro com mais munição, Bolsonaro perde visivelmente apoio da classe média que em 2022, irá novamente por um candidato de Direita, mas que aceite peitar o Congresso e não tenha histórico de panos quentes com o centrão.”

É fácil para quem está de fora atacar Bolsonaro e acusá-lo de arregar

Mas no momento em que o Brasil desesperadamente precisa das reformas previdenciárias e tributárias, dá para entender que sair colocando metade do Congresso na cadeia só causará mais caos e atrasos a recuperação econômica.

Há mais 3 anos e 3 meses para isso – não é hora de caos sistemático em Brasília

O Brasil tem pressa em ver pulhas como Rodrigo Maia na cadeia. Mas o jogo político é necessário antes de chutar o tabuleiro. A Vaza Jato já virou piadinha até entre ex-membros da quadrilha petista. O tiro de Verdevaldo foi de bala de borracha, num momento em que para piorar a batata dele, Pierre Omidyar corta financiamento ao The Intercept e busca aproximação com a classe política justamente inimiga de Glenn Greenwald, PT e PSOL.

Aguardemos agora, a prisão de Manuela. A operadora de caixa da esquerda que fez os pagamentos a Walter Delgatti e o DJ Dedo-Duro.

#tejepresacomoumabandida

Quer saber mais?

/var/mandante.bcg room16

10 bate-bocas

  1. Eu, como “brasileiro médio”, continuo com a mesma fé no Bolsonaro. E pronto para votar novamente em sua reeleição. Sabedor do que ele não conseguiu cumprir de suas promessas de campanha por forças alheias à sua vontade. Bolsomínion? Veremos quem ganha no final desta peleia…

  2. A reportagem erra ao afirmar que o voto no Jair estava vinculado ao Moro, uma vez que só depois da eleição houve o convite. Ninguém sabia que Moro seria ministro.
    Ontem Moro esteve ao lado presidente na Live semanal, sem sinal nenhum de desgaste entre os dois.

    1. Verdade, Junior!
      A matéria traz algumas informações interessantes, mas no todo deixa a desejar qto à algumas afirmações, principalmente esta que vc assinala e tb qto às projeções!

  3. Muito boa matéria. O Presidente já sinalizou, prioridade é fazer o país andar, gerar empregos, crescer. Depois entra de sola com o combate à corrupção. Afinal, ainda faltam 3 anos e 4 meses, agora não é hora pois precisa aprovar as reformas tributária e fiscal. Depois solta os cães da PF…

    1. Que bosta….a qualidade da matéria e tão boa quanto a ortografia !!!! Vcs votaram no Hadad …fala a verdade kkkk só pode

  4. Texto péssimo. Tive a sensação de estar lendo a Folha de SP. Desde quando Bolsonaro foi eleito por causa da popularidade do Moro? Desde quando a popularidade de Bolsonaro está caindo. Há a probabilidade de ele não ser reeleito??? O que foi? Vcs contrataram um webmaster petista???

Já deu!