Hackers de Glenn são raiz: BLU Tank Series e Nokia X1-01

Luiz Henrique Molição e Thiago Eliezer, uma parte da quadrilha de hackers de Glenn são raiz: BLU Tank Series e Nokia X1-01 para dificultar o rastreio. Os dois aparelhos em posse de um jornalista que se passou por amigo – fonte confiável – possível fonte para Walter Delgatti ‘cobrar’ Glenn Greenwald, sofreu típicas ‘cirurgias de hardware’ que desativam câmeras, GPS e microfones.

 

Old School Hacking, né Glenn?
Old School Hacking, né Glenn?

 

Ficaríamos reféns da palavra do jornalista certo? Só que não. Tecnologias de SO de celulares são velhas e de fácil manipulação até por profissionais menos qualificados. Delgatti Neto orientou ao jornalista a descartar cada chip usado após as conversas em que ele revela seus contatos com o quadrilheiro do The Intercept.

Ambos aparelhos contém Private Internet Acess, o PIA ou VPN, além de salvar as conversas num servidor seguro de Glenn Greenwald onde ele manipula o que quer e a vontade.

A mula de Glenn em Brasília

Walter Delgatti Neto (o Vermeio) começou a desconfiar de Glenn e desabafar com o jornalista do interior de SP que cobre Brasília, ao suspeitar de que uma terceira pessoa estava sempre ‘filmando’ ambos. Hoje já sabemos que Glenn usou a mesma técnica usada contra Snowden: vigiou o ‘hacker’ para ter a certeza de que não se tratava de uma armação contra ele.

A mula de Verdevaldo mantinha um iPad angulado para filmar as converas entre Delgatti e o jornalista num Shopping de Brasília. Delgatti então resolveu criar cópias do crime para se proteger de Glenn Greenwald quando descobriu que havia caído na armação do americano.

A quebra de sigilo dos e-mails autorizada pelo juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, prova que os aparelhos mostrados pelo jornalista, são os mesmos em fotos nos e-mails de Luiz Henrique Molição. Um velho BLU Tank Series e um Nokia X1-01 ‘a prova de hacking ou ataques a rede SS7’.

O trabalho foi feito por Thiago Eliezer como consta em um dos e-mails

Os aparelhos foram entregues ao jornalista, que os encaminhou a PF temendo ser envolvido nas delações de Suellen, posta em liberdade condicional.

Diálogos entre Glenn e Manuela D’ávila são longos e sempre muito codificados. O que prova por A + B que a relação de ambos é longa, extensa… e mais um pouco de paciência, chegaremos até algumas facadas.

Penso eu.

PS: momento Praça é Nossa do jogo? Então O Antagonista pagou por informação pública? É o mesmo que pagar para saber qual era a cor do cavalo branco de Napoleão.

Quer saber mais?

/var/mandante.bcg Luc Michel

Autor de obras de arte inspiradas em Monet como: Espinafres em C+, Blockbusters como Rochelle, Rochelle, Cry, Cry Again, Death Blow e Prognosis Negative', Luc Michel também escreveu o marco beatnik Venetian Blinds. Em 2019 se aventura com 'Rush & Resist (Disco/Biografia do Power Trio Canadense)' lançamento em Dezembro. Editor do Better Call Glenn e perturbando esquerdopatetas desde 1999 via Adequacy.org, este nobre Tangamandapiano também é sócio-minoritário nos conglomerados KRAmerica e Vandelay Industries. Se quiser me processar por favor entrar em contato com meu advogado, Jackie Chiles.

1 bate-boca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *