FOLHA segue o modus-operandi da CBC: pagou o Verdevaldo

verdevaldo

Durante o caso Edward Snowden, a CBC (Canadian Broadcasting Corporation), foi um dos grupos de comunicação mais envolvidos em proteger o hacker e dar voz a Glenn Greenwald. A quantidade de menções, condecorações e viagens para Toronto a custo do bolso do contribuinte canadense foi exorbitante.

O caso só foi descoberto quando Paul Calandra, secretário Parlamentar do governo conservador de Stephen Harper, investigou os gastos da CBC, uma estatal canadense que custa ao povo, 1.089 dólares anuais, já que a estatal é deficitária. Ah sim senhoras e senhores de bem: o canadense como o francês ama estatais, trabalhar pouco e aposentar cedo com ganhos vergonhosos para trabalhadores de VERDADE.

O jornalista Brian Lilley, do Toronto SUN, odiado pela esquerda progressista correu atrás de Glenn Greenwald até fazê-lo abrir o bico. Greenwald correu, até Brian Lilley bater na tecla de sua vida pornô subterrânea.

FOLHA isn't the only one, eh?
FOLHA isn’t the only one, eh?

Munido de advogados e protestos favoráveis da esquerdopatia canadense, Greenwald disse que só recebeu 1.500 dólares canadenses, o que que causou risos em todos. Esse valor não cobre uma sessão de fotos que a CBC paga a um fotógrafo pela cobertura de um evento esportivo como um jogo do Toronto Blue Jays, ou do Toronto Raptors.

Pagou pelo quê? Hein CBC?

Po meio de sua assessoria de imprensa, chefes da CBC alegaram que pagaram apenas os custos de hospedagem e deslocamento de Verdevaldo. Depois, mudaram a versão. Pagaram pelo conteúdo, negociado por Greenwald, e aceitaram o que hoje a FOLHA aceita: conta gotas – nada de acesso irrestrito como reza a cartilha do jornalismo sério.

Qual o código. o artigo para receptação no Canadá?
Qual o código, o artigo para receptação no Canadá?

Glenn Greenwald cederia as matérias e jornalistas da CBC as assinaria. David Walmsley, editor-chefe da CBC News alegou que havia uma parceria Greenwald-CBC, e que só foi descoberta após uma fonte do Wall Street Journal revelar que Greenwald estaria cobrando de veículos de imprensa para ‘liberar o material’.

A coisa apertou quando Alistair MacDonald, um jornalista do Wall Street Journal revelou que Glenn Greenwald havia pedido uma quantia obscena ao WSJ para liberar o material roubado por Snowden. Tristin Hopper do National Post, outro jornal conservador do Canadá, pediu a CBC que mostrasse o pagamento feito a Glenn Greenwald.

Alistair MacDonald é o terror da esquerda no Canadá
Alistair MacDonald é o terror da esquerda no Canadá

Sendo a CBC um veículo bancado pelo imposto dos canadenses, era obrigação da empresa estatal revelar a verdade. Ela insistiu nos 1.500 dólares, e Greenwald foi ao Twitter ofender o Parlamento Canadense, como faz hoje com a Lava Jato.

Paul Calandra descobriu uma conta de Glenn Greenwald no Brasil onde haviam pagamentos de diveras espécies, Stephen Harper, ex-mandatário (Primeiro Ministro) canadense tomou medidas contra a CBC e em segredo correu um processo para descobrir quanto a CBC estava pagando pelo crime de Snowden e pelo dealer, Glenn Greenwald.

De acordo com material que temos ainda sem total publicação por falta de checagem com mais de uma fonte independente: FOLHA e VEJA tem casos ora semelhantes, ora distintos da CBC e tantas outras publicações como The Guardian e outros.

A beira da falência, a VEJA do grupo Abril, visa o potencial de investimento de Pierre Omidyar e aguarda. No entanto, até agora… só promessas, tanto que a revista meio que deixou a Vaza-Jato em terceiro plano.

Já a FOLHA mergulhou de cabeça e usa o dinheiro do PagSeguro para tentar se manter relevante; enquanto já colocou na folha de pagamento: Evgenii Mikhailovich Serebryakov, Daniel Jeloudar (ex-funcionário e consultor de TI do eBay… haja coincidências, não?) e Anton Savic.

Entenderam agora porque cavamos o lado pornográfico de Verdevaldo? Só assim para surtá-lo e fazê-lo confessar seus crimes.

Quer saber mais?

/var/mandante.bcg room16

2 bate-bocas

  1. Acredito que a associação entre a Folha e o Intercept pode estar articulada a alguma transação entre o Pay Pal e o Pag Seguro. Mas e os hackers? Alguma novidade sobre quem pode ter pago pelos serviços dos rapazes?

    1. Será que o aplicativo que sequestra a máquina do PagSeguro pra ser usado pelo Santander é uma percepção do Santander que o PagSeguro vai entrar na merda e eles poderão roubar clientes, ou é uma cumplicidade do Santander com o Grupo UOL?

Já deu!